Contato
Entrar
Bom Dia - Sexta-feira, 24 de Novembro de 2017
Notícias  |  Juara e Região

Juara está entre as 35 cidades de MT que deverão receber usinas de compostagem de lixo, segundo ONG

ONG garante quase 5 mil empregos com construção de usinas avaliadas em R$ 20 mi cada; Juara está entre elas

Fonte: André Garcia Santana - Olhar Direto
Data: 11/11/2017 ás 07:49:15
Reprodução Internet

A Organização Não Governamental, Confederação do Elo social Brasil (CESB), lançou nessa quinta-feira, 09 de novembro, o projeto para implantação de 27 usinas de Tratamento de lixo em Mato Grosso, estimadas em 20 milhões de reais cada, que serão edificadas em terrenos das prefeituras parceiras, que serão mantidas com investimentos da iniciativa privada.

 

As usinas deverão atender comunidades em 35 cidades, geração de quase cinco mil empregos e o fim dos problemas oferecidos pelos lixões. Uma dessas usinas deverá ser em Juara, segundo a ONG.

 

Esta é a proposta da ONG Confederação do Elo Social Brasil (CESB), que lançou nesta quinta-feira (9), em Cuiabá, o projeto de implantação de 27 usinas de tratamento de lixo em Mato Grosso. As unidades, estimadas em R$ 20 milhões cada, serão erguidas sobre terrenos das prefeituras parceiras, sendo mantidas por investimentos da iniciativa privada. No Estado 14 gestores já aceitaram o acordo.

 

Ao Agro Olhar, o presidente da Cesb, Joamateleno Santos Teixeira, afirmou que os Centros de Triagem e Transbordo (CTTs) já estarão funcionamento a partir do próximo ano e que, mesmo onde não houver concessões, os espaços serão garantidos por empresas particulares. Até o momento, segundo ele, 14 municípios já aderiram a proposta, que deverá cobrir todo o Estado. “Nós consideramos apenas localidades com mais de 100 mil habitantes, então, nas cidades onde este número é menor, agrupamos as prefeituras em um consórcio.”

 

Os municípios escolhidos em Mato Grosso são: Alto Garças, Aripaunã, Barra do Garças, Cáceres, Canarana, Campo Verde, Iatúba, Jangada, Juara, Nova Lacerda, Paranaita, Porto Alegre do Norte, Primavera do Leste, Tangará da Serra, Sorriso, Sinop, Matupá, Lucas do Rio Verde, Campo Novo do Parecis, Nova Olímpia, São José dos Quatro Marcos, Várzea Grande, Cuiabá e Rondonópolis.  Além destes, que receberão os CTTs, 35 cidades contarão com centros sociais, que oferecerão serviços de psicologia, advocacia, assistência social, dentre outros.

 

Questionado sobre a viabilidade do investimento, o diretor Osvaldo Moreira garante que os valores se pagam em até oito meses. De acordo com ele, há uma grande variedade de produtos oriundos das usinas, que incluem compostagem, incineração e cremação. Assim, além do carvão, também haverá produção de móveis e itens de decoração. Ele reforça que já foi estabelecida uma parceria com o Sindicato Nacional dos Decoradores e Tapeceiros (Sindetap).

 

Assim, a lucratividades dos estabelecimentos deverá ser obtida por meio destas iniciativas. Para as prefeituras, a economia estimada pela ONG é de 40% em comparação à média de gastos atuais com a coleta e destinação do lixo.

 

A ONG, voltada a combater a desigualdade social, deu posse no evento a diretores estaduais e regionais no Estado, onde vai apresentar o projeto de construção dos CTTS, que deverão solucionar o problema do lixo em todo o Estado. Teixeira explica que a Confederação está instalando suas regionais em todo o país e que este é o primeiro passo para que cada Estado tenha usinas e prédios sociais que, além de geração de empregos, deverão oferecer cursos gratuitos a população.

 

Empregos

 

As vagas oferecidas pela ONG estão distribuídas entre 331 para trabalho na instituição e outras 4.560 à oficinas do Grupo Iner e cooperativas parceiras. Os salários variam de cinco (R$ 4685) a 20 salários mínimos (R$ 18.740,00), de acordo com a ONG. Advogados, psicólogos, assistentes sociais, administradores, estão entre as formações que serão contratadas para atuar em diversas cidades do Estado a partir de 2018. Os candidatos passarão por uma triagem e um treinamento obrigatório, que os capacitarão para as funções exigidas.

 

Em cada Estado, um representante do órgão visitará terrenos para a construção dos Centros e, em áreas de risco social, um prédio do Elo Social que oferecerá à população serviços de psicologia, assistência social, e advocacia, além de promover cursos de formação profissional. "Vamos dar ao lixo o tratamento adequado e transformá-lo em riqueza para Mato Grosso com o programa "Lixo Zero Social 10"", afirma o presidente da Confederação.

  • A-
  • A
  • A+
• Naiane Francisca Ribeiro De Siqueira
Parabéns oelo projeto, Mato Grosso estava precisando. Onde eu posso enviar meu currículo, quero uma oportunidade de trabalho.
Data: 11/11/2017 ás 03:20:41
PUBLICIDADE

Carregando...

Seu MAC: CCBot/2.0 (http://commoncrawl.org/faq/)
Copyright © 2017
Todos os direitos reservados.
Desenvolvido e Hospedado por: