NOTÍCIA | BALANÇA COMERCIAL

Carlos César Floriano (VMX) comenta balança comercial

A China foi a maior importadora, com registros de US$ 311,74 milhões em aquisições ou 25,9% do valor total exportado pelo Brasil de açúcar.

Por: Assessoria de imprensa do Grupo VMX Agro
Publicado em 25 de Novembro de 2020 , 07h38 - Atualizado 25 de Novembro de 2020 as 07h41


Reprodução VMX Agro

O CEO do Grupo VMX Agro, Carlos César Floriano, comentou os dados mais recentes do comércio exterior brasileiro. As vendas externas de açúcar foram recorde em outubro de 2020, com aumento de 121%, passando de US$ 543,96 milhões em outubro do ano passado para US$ 1,20 bilhão no mesmo mês deste ano. A quantidade exportada de açúcar foi recorde para toda série histórica, com 4,2 milhões de toneladas. “Esse produto é um componente importante para o cálculo do resultado do setor”, explica Carlos César Floriano.  

A China foi a maior importadora, com registros de US$ 311,74 milhões em aquisições ou 25,9% do valor total exportado pelo Brasil de açúcar. Outros países que compraram o açúcar foram a Índia (US$ 107,82 milhões; +33,8%), Bangladesh (US$ 85,07 milhões; +94,1%) e os Estados Unidos (US$ 61,95 milhões; +202,3%).

Ainda no setor, houve aumento das exportações de álcool, que chegaram a US$ 184,87 milhões (75,4%). Os principais importadores de álcool brasileiro foram os Estados Unidos (US$ 63,91 milhões; -1,1%), a Coreia do Sul (US$ 45,79 milhões; +53,6%) e a União Europeia (US$ 45,75 milhões; +3.681%).

Balança

As exportações totais do agronegócio em outubro contabilizaram US$ 8,18 bilhões, o que significou recuo de 6,2% em relação ao mesmo mês do ano passado (US$ 8,72 bilhões).  De acordo com a Secretaria de Comércio e Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a queda das exportações ocorreu em função da redução de 3,6% no índice de quantum das exportações e de 2,8% no de preço. “O resultado é importante, mas não afeta o otimismo da cadeia produtiva do agronegócio que segue voltado ao investimento”, conclui Carlos César Floriano.

As importações dos produtos do agronegócio somaram US$ 1,2 bilhão no mês do estudo. O saldo da balança comercial contabilizou US$ 6,9 bilhões. A participação do agronegócio nas exportações totais do Brasil representaram 45,8% do valor total exportado no mês passado, alta de 9,7% em relação ao mesmo mês de 2019.

Segundo a análise da SCRI, em sua nota técnica, como síntese para esse mês de outubro, a queda das exportações de soja em grão (- US$ 913 milhões) foi em parte compensada pelo destaque positivo nas exportações recorde de açúcar (US$ 658 milhões).

Outro setor que registrou desempenho favorável foi o de produtos florestais. As vendas externas do setor atingiram US$ 1,03 bilhão (8%). As exportações de celulose subiram 6,3%, chegando a US$ 550,13 milhões. A quantidade exportada de celulose subiu 9,9% na comparação entre outubro de 2019 e 2020, atingindo o recorde de 1,45 milhão de toneladas, porém, a queda do preço médio de exportação em 3,4% impediu um incremento maior do valor exportado.

O produto que teve melhor desempenho no setor de produtos florestais foi o de madeiras e suas obras. Houve registro de US$ 351 milhões em vendas externas, com elevação de 61,7% na quantidade exportada, embora o preço médio de exportação do produto também tenha caído (-20,6%).

RC Sistemas
Jud
Sicredi
Auto Posto Arinos LTDA
Jumasa
Soluti - Exatas Contabilidade
Exatas Contabilidade
Covid-19




MAIS NOTÍCIAS


Inviolável



Interessado em receber notícias em seu e-mail?
Nós o notificaremos e prometeremos nunca enviar spam.


2002 - 2021 © showdenoticias.com.br