Após novo aumento, média de preço do gás em MT é mais alta do país; produto chega a R$ 115

Após novo aumento, média de preço do gás em MT é mais alta do país; produto chega a R$ 115

Por: Olhar Direto - André Garcia Santana
Publicado em 02 de Fevereiro de 2018, 10h18 - Atualizado 02 de Fevereiro de 2018 ás 10h31


Olhar Direto/Reprodução/Internet
O orçamento dos brasileiros deve passar por novos cortes após o anúncio da Associação Brasileira dos Revendedores de GLP (Asmirg-BR) de mais um aumento no preço do gás de cozinha. A mudança passou a valer na quinta-feira (1) e decorre de reajustes no Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (IMCS), determinado pelos Estados. Para Mato Grosso a previsão de Preço Médio Ponderado ao Consumidor Final (PMPF) é de R$ 95,86, embora o produto já seja comercializado por até R$ 115.

Segundo tabela divulgada pela Asmirg, o PMPF mato-grossense é o maior do país seguido por Tocantins (R$ 84,50), Sergipe (R$ 78,51), Rondônia (R$ 77,08), e Acre (R$ 74,56). Ao Agro Olhar, o presidente da entidade, Alexandre Borjaili, reforçou que mesmo diante destas estimativas, cabe a cada distribuidora avaliar sua política de preço de mercado. A alta no imposto acontece na mesma semana em que a Petrobrás divulgou queda de 5% no gás nas refinarias.

De acordo com levantamento semanal da Agência Nacional de Gás e Petróleo (ANP), o valor mínimo cobrado pelo produto nos estabelecimentos do Estado é de R$ 88, em Várzea Grande e Rondonópolis, e o máximo, já mencionado, é de R$ 115 em Alta Floresta. Os dados consideram o período entre 21 e 27 de janeiro e apontam ainda que, na Capital, os números variam entre R$ 90 e R$ 105, a depender do ponto.

Para Alexandre o preço médio do ICMS não é visto pelo setor como a realidade, já que uma grande parte do mercado atua na forma atacado, abastecendo sua própria rede e mantendo preço de venda muito inferior ao PMPF. “Um Estado para ter seu preço médio (PMPF) próximo a R$ 100 é no mínimo uma forma extorsiva de calculo de impostos, ainda temos como base de cálculo, incluso os impostos PIS/COFINS, gerando uma bitributação”, diz.

A Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz) informa que PMPF do GLP de 13 quilos é formado com base em pesquisas quinzenais realizadas junto a revendas localizadas em 42 de municípios de todas as regiões de Mato Grosso, para apurar os preços praticados.

Sete desses municípios concentram aproximadamente 80% do consumo, sendo que, nesses locais, o levantamento é feito pela (ANP). As cidades são Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis, Cáceres, Sorriso, Sinop e Alta Floresta.


Por meio de nota a Pasta afirma que, para aproximar mais o preço médio à realidade do mercado, a Sefaz também realiza pesquisas em mais 35 municípios, totalizando assim as 42 cidades. “Portanto, reforça que o preço médio é fixado de acordo com os preços praticados pelas revendedoras”, diz o texto. 

A Asrmig também elaborou uma tabela comparando os preços do gás de cozinha, o valor do ICMS e as arrecadações estaduais. Confira:

 

Exatas Contabilidade
Sicredi
Auto Posto Arinos LTDA
Social Show
RC Sistemas
Sicredi
Jumasa

0 | COMENTÁRIO
Nenhum comentário foi feito até o presente momento.




MAIS NOTÍCIAS

Inviolável


Interessado em receber notícias em seu e-mail?
Nós o notificaremos e prometeremos nunca enviar spam.

CADASTRE-SE



2002 - 2018 © showdenoticias.com.br