NOTÍCIA | MAIS INVESTIMENTOS

Carlos César Floriano celebra o investimento na safra atual

Carlos César Floriano comenta que, ?do total das operações contratadas no período, as fontes controladas correspondem a 60%?.

Por: Carlos César Floriano - CEO do Grupo VMX
Publicado em 15 de Maio de 2021 , 11h10 - Atualizado 15 de Maio de 2021 as 11h14


Reprodução VMX Agro

Entre julho do ano passado a abril deste ano foram liberados R$ 201,43 bilhões aos produtores rurais e cooperativas de produção, o que é motivo de comemoração para o CEO do Grupo VMX, Carlos César Floriano, “especialmente neste momento desafiador que o mundo está atravessando”, explica.

Após dez meses da safra 2020/2021, o valor das contratações de crédito rural continua com desempenho crescente. O crescimento verificado foi de 12% em relação a igual período da safra anterior.

A novidade, de acordo com o Balanço de Financiamento Agropecuário da Safra 2020/2021, é que nesse montante foram contabilizadas as aquisições de Cédulas de Produto Rural (CPRs) e operações com agroindústrias, que somaram R$ 10,84 bilhões entre julho e fevereiro deste ano.

Carlos César Floriano ressalta o aumento de 46%

O destaque desta safra tem sido para o investimento, cuja elevação percentual foi de 46%, comparativamente à safra passada, atingindo R$ 59,56 bilhões. O custeio teve um crescimento de 19% e representou R$ 102,46 bilhões. Pela primeira vez nesta safra, a comercialização aumentou o montante contratado (R$ 18,35 bilhões), e a industrialização atingiu R$ 10,22 bilhões, com crescimento equivalente a 4%.

Carlos César Floriano comenta que, “do total das operações contratadas no período, as fontes controladas correspondem a 60%”.

No caso do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor (Pronamp), essas fontes respondem por quase 100% do valor contratado, o que evidencia a prioridade de acesso ao crédito rural oficial aos pequenos e médios produtores.

Entre as contratações de crédito rural realizadas com recursos controlados (R$ 120,19 bilhões), destaca-se a participação da Poupança Rural Controlada (R$ 45,78 bilhões) e dos Recursos Obrigatórios (R$ 37,95 bilhões), apesar da diminuição em 16% na utilização destes comparativamente à safra passada.

Quanto à participação das fontes não controladas (R$ 81,24 bilhões), a LCA – Letras de Crédito do Agronegócio (R$ 38,29 bilhões) e a Poupança Rural Livre (R$ 25,11 bilhões) foram as mais representativas. Especialmente neste final de safra, ficou evidenciado o aumento de 6% das contratações com fontes não controladas e de 17% com fontes controladas.

Em relação aos financiamentos realizados nos programas de investimento, com recursos da fonte do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), administrados pelo Mapa, os programas que se destacaram, pelo valor contratado e respectivo aumento, foram o Programa de Modernização da Frota de Tratores Agrícolas e Implementos Associados e Colheitadeiras (Moderfrota): R$ 7,10 bilhões (9%), o Programa para Redução da Emissão de Gases de Efeito Estufa na Agricultura (Programa ABC): R$ 2,15 bilhões (10%) o Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção Agropecuária (Inovagro): R$ 1,58 bilhão (27%), o Programa de Construção e Ampliação de Armazéns (PCA): R$ 1,84 bilhão (63%) e o Programa de Incentivo à Irrigação e à Produção em Ambiente Protegido (Moderinfra): R$ 766 milhões (117%).

Covid-19
Jud
Auto Posto Arinos LTDA
RC Sistemas
Sicredi
Jumasa
Exatas Contabilidade
Soluti - Exatas Contabilidade




MAIS NOTÍCIAS


Inviolável



Interessado em receber notícias em seu e-mail?
Nós o notificaremos e prometeremos nunca enviar spam.


2002 - 2021 © showdenoticias.com.br