NOTÍCIA | PULGA NOS CÃES

Pulgas e carrapatos: pesadelos para cães e tutores. Mas é possível resolver esse problema

Pulgas, carrapatos, piolhos e ácaros representam um verdadeiro pesadelo para os pets e seus tutores.

Por: Fernanda Souza - Texto Assessoria
Publicado em 19 de Agosto de 2021 , 10h26 - Atualizado 20 de Agosto de 2021 as 08h50


Reprodução Texto Assessoria

Coceira, perda de pelo e até feridas. Esses são alguns dos problemas nos cães acometidos por ectoparasitas. Pulgas, carrapatos, piolhos e ácaros representam um verdadeiro pesadelo para os pets e seus tutores. Segundo a médica veterinária Patricia Guimarães, responsável pelo departamento técnico de marketing da Syntec do Brasil, prevenir o aparecimento de pulgas e carrapatos é a forma mais efetiva de combater os ectoparasitas. “Cuidados podem ser tomados por meio da utilização frequente de produtos tópicos ou sistêmicos, que auxiliam na proteção contra pulgas e carrapatos, na forma de pipetas, comprimidos orais ou coleiras especiais. Dar banhos regularmente e a manter os pelos curtos, principalmente nas estações de calor, quando a proliferação é mais intensa, também são medidas importantes”, explica a especialista.

A contaminação dos pets acontece no ambiente ou pelo contato direto ou indireto com animais com algum nível de infestação. “Estima-se que mais de 80% dos cães possuem alguma espécie de ectoparasita. Para saber se o seu cão está com pulgas ou carrapatos, é necessário realizar um minucioso exame físico, além da observação de sintomas, como queda de pelo, coceira em excesso, vermelhidão, descamação, hiperpigmentação, espessamento da pele e outras lesões e alterações, além da própria visualização do ectoparasita na fase adulta e suas fezes (no caso de pulgas) no corpo cão”, explica a veterinária.

As principais doenças causadas são erliquiose, babesiose, anaplasmose, hepatozoonose, febre maculosa, rangeliose, dermatite alérgica à picada de pulgas (DAPP) e a ectoparasitas (DAPE), demodiciose e a Doença de Lyme, onde muitas delas podem levar o cão a óbito. “Se o cão estiver com nível elevado de infestação por ectoparasitas e não receber o correto tratamento, tanto o de suporte quanto o de combate direto, ele pode sofrer consequências muito sérias devido ao agravamento das doenças”, relata Patricia Guimarães.

Ela destaca que raças com grande quantidade de pelo e/ou pelo longo, demandam maior atenção e cuidados por parte dos tutores, pois essas características facilitam a infestação e dificultam a visualização das pulgas e dos carrapatos presentes no corpo do animal.

Segundo a veterinária da Syntec, o principal tratamento contra pulgas e carrapatos exige o uso de ectoparasiticidas tópicos ou orais, como K-Spot, produto tópico que combate as formas ovais, larvais e adultas de pulgas, carrapatos e piolhos. “Em associação, podemos utilizar shampoos específicos e limpar frequentemente os locais onde o cão normalmente habita, além dos demais objetos como caminhas, roupinhas, brinquedos e comedouros. Em alguns casos, se faz necessário encaminhar o animal para o médico veterinário por conta do nível elevado de infestação, onde um tratamento suporte é empregado junto a cuidados intensivos”, recomenda.

K-Spot é indicado apenas para cães e pode ser utilizado em animais adultos, idosos, fêmeas gestantes e lactantes e filhotes acima de 6 semanas de idade. O produto é eficaz no tratamento de ectoparasitoses causadas por pulgas e carrapatos. Também é indicado para tratamento e controle da Dermatite Alérgica a Picadas de Pulgas (DAPP) e controle das infestações dos cães por cestódeos.

RC Sistemas
Soluti - Exatas Contabilidade
Covid-19
Jumasa
Auto Posto Arinos LTDA
Jud
Exatas Contabilidade
Sicredi

JUARA MATO GROSSO



MAIS NOTÍCIAS


Inviolável



Interessado em receber notícias em seu e-mail?
Nós o notificaremos e prometeremos nunca enviar spam.


2002 - 2021 © showdenoticias.com.br