NOTÍCIA | TRE-MT

TRE-MT investe em tecnologias da informação e da comunicação para manter a produtividade em trabalho remoto

O acesso através de Virtual Private Network (VPN) e os acessos aos sistemas estão sendo monitorados diariamente pela Secretaria de Tecnologia e Informação

Por: TRE-MT/Andréa Martins Oliveira
Publicado em 03 de Abril de 2020 , 08h27 - Atualizado 03 de Abril de 2020 as 08h30


TRE-MT

A Justiça Eleitoral de Mato Grosso suspendeu seu expediente presencial como forma de combater a propagação do COVID-19, mas adotou soluções baseadas em tecnologia da informação para garantir que servidores e magistrados mantenham a produtividade usual, mesmo laborando de casa. Os profissionais da Instituição foram devidamente habilitados para acessar os sistemas da Justiça Eleitoral onde quer que estejam, muitos, inclusive, receberam os equipamentos necessários.

O acesso através de Virtual Private Network (VPN) e os acessos aos sistemas estão sendo monitorados diariamente pela Secretaria de Tecnologia e Informação.

Estão em trabalho remoto 184 servidores que laboram na Sede do Tribunal e 302 nos cartórios eleitorais. Neste quantitativo estão inclusos servidores efetivos, requisitados e cedidos. Todos foram habilitados para acessar a rede da Justiça Eleitoral de Mato Grosso através de VPN (Virtual Private Network), garantindo, assim, o acesso a todos os sistemas e recursos na prestação de serviços, tais como: Portal Corporativo, Processo Judicial Eletrônico (PJe), Sistema Eletrônico de Informações (Sei), Outlook, Sistema de Andamento de Documentos e Processos (SADP), Infodip -sistema que recebe comunicações sobre direitos políticos (suspensão e regularização) e óbitos e Elo – sistema nacional de cadastro dos eleitores, Diário da Justiça Eletrônico, FiliaWeb e PAG-Envie.

Para a realização das atividades com a participação simultânea de todos os membros das equipes, estão sendo utilizadas soluções de webconferência e de colaboração. “A Secretaria de Tecnologia da Informação, após adequar a infraestrutura de segurança de TI, autorizou o acesso, através de VPN, a todos os servidores e magistrados, sendo que a solução implantada permite que os profissionais laborem e recebam suporte de qualquer lugar e de forma transparente, tendo o mesmo nível de acesso que o obtido nas dependências da Justiça Eleitoral, inclusive, a sistemas específicos mantidos pelo TSE. Adicionalmente, esta semana iniciamos a implantação de outras soluções direcionadas às demandas específicas, como aquela que permitirá realizar as sessões plenárias não presenciais, por webconferência. “, explicou o secretário da STI, Dr. Luís Cézar Darienzo.

Com as ferramentas necessárias e o suporte técnico por parte da STI e demais unidades do Tribunal, os servidores garantem que é possível manter o ritmo de trabalho. “Nós deixamos fixados, na porta do cartório, os meios para contato (telefone e endereço de e-mail) e estamos sendo demandados. Recebo várias solicitações de eleitores todos os dias e ainda atendo partidos e advogados. Também verifico os processos para efetuar os andamentos devidos. Tudo está fluindo e estamos conseguindo contornar os obstáculos impostos nesse momento de isolamento. Essa semana participei de reunião com a equipe da Corregedoria Regional Eleitoral, via Skype. Estamos empenhados em resolver demandas urgentes dos eleitores porque essa é a nossa principal preocupação neste momento, para que não haja perecimento de direitos”, explicou a chefe de cartório da 20ª zona eleitoral de Várzea Grande, Simeres Godoy. Ela garante que é possível manter a produtividade no trabalho remoto, desde que haja compromisso por parte do servidor. “Procuro manter a rotina. Acordo cedo, me arrumo como se fosse trabalhar presencialmente e trabalho até o horário determinado, às vezes, vou até mais, pois fico focada e quando vejo já terminou o expediente”.

A manutenção da rotina está entre as orientações repassadas pela Secretaria de Gestão de Pessoas a todos servidores. “A quarentena decorrente do Coronavírus e o início do trabalho remoto exige alguns cuidados especiais, não somente relação às atividades em si, mas também em relação a nós mesmos. Trabalhar em nossas casas nos proporciona muitos aspectos positivos, mas a experiência tem nos mostrado a importância de se adotar medidas e rotinas para o atendimento da demanda de serviço e da preservação de nossa saúde física e mental. Recomendamos aos nossos colaboradores que, mesmo em casa, mantenham rotinas básicas, definam um horário de trabalho e preparem-se como se fosse para o Tribunal/Cartório. Orientamos que todos reservem e organizem um espaço e que os gestores e chefes acompanhem as equipes, avaliem individualmente cada um e mantenham a equipe integrada”, ressaltou o secretário da SGP, Valmir Milomem.

O teletrabalho não é novidade para a Justiça Eleitoral de Mato Grosso. Em 2019, o Pleno do TRE aprovou a Resolução n. º 2349/19, que permitiu que servidores, em casos específicos, pudessem laborar em casa ou em outra localidade diversa da sede da Instituição, utilizando para a prestação de serviços o uso de tecnologias de informação e de comunicação.

“Nós adotamos esse regime de trabalho com quatro servidores e tivemos excelentes resultados. Essa experiência positiva fortalece em nós, Gestores, a certeza de que as atividades e a produtividade serão mantidas por todos os servidores e magistrados que atualmente laboram de casa. Podemos manter os serviços essenciais sem colocar em risco a saúde de nossos colaboradores, dos eleitores, dos advogados e demais cidadãos. Esse momento pede a todos o compromisso de continuar servindo à Instituição de onde quer que estejam”, ressaltou o presidente do TRE-MT, desembargador Gilberto Giraldelli.

O corregedor regional eleitoral, desembargador Sebastião Barbosa, ressalta que haverá por parte da administração um amplo controle sobre a utilização do regime como forma de garantir sua efetividade. “O teletrabalho é recente, portanto, não é conhecido por grande parte da sociedade. A desinformação sobre seu funcionamento pode levar o cidadão a tirar falsas e negativas conclusões. Engana-se quem pensa que a administração pública perde o controle sobre os trabalhos desenvolvidos pelos servidores em regime de teletrabalho. Temos diversos mecanismos e sistemas que possibilitam o controle da jornada do servidor”.

As vantagens do trabalho remoto são inúmeras, entre elas: aumenta a produtividade e qualidade de trabalho dos servidores; economiza tempo e reduz custo de deslocamento dos servidores até o local de trabalho; amplia a possibilidade de trabalho dos servidores com dificuldade de deslocamento; aumenta a qualidade de vida dos servidores; promove a cultura orientada a resultados, com foco no incremento da eficiência e da efetividade dos serviços prestados à sociedade; estimula o desenvolvimento de talentos, o trabalho criativo e a inovação e ainda reduz custos com pessoal e contas de luz, telefone, internet e uso de equipamentos e móveis.

Soluti - Exatas Contabilidade
Jumasa
Faculdade Anhanguera
Auto Posto Arinos LTDA
RC Sistemas
Judô
Covid-19
Sicredi




MAIS NOTÍCIAS


Inviolável



Interessado em receber notícias em seu e-mail?
Nós o notificaremos e prometeremos nunca enviar spam.


2002 - 2020 © showdenoticias.com.br