Gávea
Lauro Motos



Caixa-preta indica falha do piloto em acidente com avião russo

Caixa-preta indica falha do piloto em acidente com avião russo

Por: Estadão
Publicado em 28 de Dezembro de 2016, 08h23 - Atualizado 28 de Dezembro de 2016 ás 08h23


A primeira avaliação da caixa-preta do Tupolev 154 da Força Aérea da Rússia que caiu no domingo no Mar Negro indicou uma falha do piloto como a causa mais provável para o acidente, disse nesta terça-feira, 27, à agência Interfax uma fonte próxima da investigação. “Concluímos a análise preliminar do registro de voo. Isso permitiu concluir que é prioritária a versão sobre a falha na pilotagem como a causa do acidente”, disse o interlocutor à agência.
 
Por outro lado, outra fonte consultada pela Interfax disse que houve falha nos flaps das asas do avião. Como resultado, a aeronave perdeu força de elevação em uma velocidade insuficiente para subir.
 
Especialistas consultados pelo jornal Kommersant também indicaram uma falha de pilotagem como causa mais provável. Um guarda de fronteiras russo que viu a queda do Tu-154 explicou que o avião começou a cair rapidamente em direção ao mar, como se fosse aterrissar sobre ele.
 
“A posição da aeronave era estranha, até mesmo para uma manobra de aterrissagem. O Tu-154 voava em baixa velocidade, com o nariz empinado”, afirmou ao Kommersant.
 
A testemunha comparou a posição do avião com a de uma motocicleta empinando sobre as rodas traseiras. Aparentemente, a aeronave tocou primeiro com a cauda na água, que se partiu com a pancada, e afundou rapidamente.
 
O Tu-154 do Ministério da Defesa da Rússia, que procedia de Moscou, caiu poucos minutos depois de decolar do aeroporto de Sochi, onde tinha feito escala para reabastecimento.
 
A bordo da aeronave, além dos 8 tripulantes, estavam 64 membros do grupo de música e dança Alexandrov, do Exército russo, 9 jornalistas, outros 8 militares e a famosa médica Elizaveta Glinka, presidente de uma fundação humanitária.
 
Os artistas militares viajaram para a Síria para um show de ano-novo na base aérea de Jemimim, onde a Rússia mantém aviões de guerra.
 
A primeira caixa-preta foi encontrada por um veículo submarino controlado por controle remoto a uma profundidade de 17 metros a 1,6 quilômetro de Sochi.
 
“Durante a noite, nas operações de busca, outros cinco fragmentos do avião foram encontrados”, informou o Ministério da Defesa, em comunicado. Entre os fragmentos estão pedaços da fuselagem e do motor.
 
A Interfax citou uma fonte não identificada que afirmou que a Rússia determinou a paralisação de todos os Tu-154 até que a causa do acidente de domingo seja esclarecida. Não houve confirmação oficial sobre essa medida.
 
O Ministério da Defesa informou que o avião que caiu, uma aeronave da era soviética fabricado em 1983, havia sido usado pela última vez em setembro e passou por reparos mais significativos em dezembro de 2014. Pilotos russos afirmam que o Tu-154 tem um histórico razoável de segurança, embora as principais companhias aéreas russas tenham substituído o modelo por aeronaves de fabricação ocidental.
 
A Interfax disse que um segundo gravador de dados do voo também foi encontrado nos destroços, mas ainda não havia sido trazido à superfície. O Ministério da Defesa afirmou que as equipes de busca e resgate já recuperaram 12 corpos e 156 fragmentos de corpos. / EFE e REUTERS

0 | COMENTÁRIOS
Nenhum comentário foi feito até o presente momento.



MAIS NOTÍCIAS

Inviolável


Interessado em receber notícias em seu e-mail?
Nós o notificaremos e prometeremos nunca enviar spam.

CADASTRE-SE



2002 - 2018 © showdenoticias.com.br