NOTÍCIA | REVIRAVOLTA

Jovem assume assassinato de Willian e Polícia Civil faz buscas da faca “usada” no suposto crime

Pablo Henrique Bernardino Nascimento, 22 anos, procurou pela faca do suposto crime, mas nada foi encontrado.

Por: Show de Notícias - Aparicio Cardozo
Publicado em 06 de Junho de 2019 , 08h18 - Atualizado 07 de Junho de 2019 ás 17h02


Show de Notícias

A Polícia Judiciária Civil de Juara registrou nessa quarta-feira, dia 05 de junho, uma reviravolta no caso do assassinato do jovem Willian Alves Ferreira, na época com 14 anos, ocorrido em janeiro de 2016.

O corpo do jovem Willian foi encontrado no morro do Ibama, em Juara, com um corte no pescoço (degolado), aparentemente provocado por arma branca (faca), no dia 22 de janeiro de 2016. O crime teria acontecido cerca de dois dias antes.

Algum tempo depois, a Polícia prendeu Clebison Jack Coelho, acusado de ser o assassino, que confessou o crime, foi condenado em Júri Popular a 24 anos e seis meses de prisão, depois teve a pena reduzida pela justiça, mas acabou fugindo da cadeia de Juara, porém, acabou recapturado e continua preso.

Na tarde dessa quarta-feira, dia 05, o delegado Carlos Henrique Engelmman, que preside o inquérito, acompanhado de agentes prisionais de Porto dos Gaúchos, investigadores de Juara e agentes da Politec de Juína, acompanharam o jovem Pablo Henrique Bernardino Nascimento, 22 anos, que está preso em Porto dos Gaúchos por tráfego de drogas, nas buscas de uma possível faca que ele teria jogado logo após cometer o suposto assassinato do jovem Willian.

A imprensa acompanhou as buscas, mas, depois de mais de 02 horas andando pela mata do morro do Ibama nada foi encontrado, o que levanta.

Após quase três horas de buscas na mata, o delegado Carlos Henrique Engelmman disse que a Polícia Civil não descarta nenhuma hipótese, mas nenhuma faca foi encontrada e que a todo o momento, o rapaz olhava para a copa das árvores, o que induz que ele procurava um objeto com base em alguma orientação que lhe foi passada.

Dr. Carlos Henrique disse que as investigações continuam e que, caso o jovem esteja mentindo para assumir a responsabilidade de um crime que não cometeu, poderá ser indiciado com base no Artigo 341, crime de se auto acusar de um crime

O caso:

O adolescente de 13 anos foi morto em janeiro de 2016, logo após cumprir internação pela morte do empresário Claudemir Ferreira, que tinha 41 anos, e de Alessandra da Silva Scheffer, na época com 24 anos, ocorrido em outubro de 2015. O casal foi vítima de latrocínio (roubo seguido de morte), em Juara.

O crime foi praticado pelo menor, em companhia de outro adolescente, na época com 17 anos, e Aline Maria Leonardo Macedo, que tinha 21 anos, que, em maio de 2017, foi condenada a 46 anos de prisão.

Aline Leonardo Macedo, 19 anos, principal articuladora e participante do duplo latrocínio ocorrido em Juara na madrugada de 13 de outubro de 2015, se entregou à Polícia, foi julgada, condenada e cumpre pena no presidio feminino de Arenápolis.

Aguarde em instantes, o vídeo das buscas


Judô
RC Sistemas
Auto Posto Arinos LTDA
Exatas Contabilidade
Sicredi
Faculdade Anhanguera
Jumasa

0 | COMENTÁRIO
Nenhum comentário foi feito até o presente momento.




MAIS NOTÍCIAS

Inviolável


Interessado em receber notícias em seu e-mail?
Nós o notificaremos e prometeremos nunca enviar spam.


2002 - 2019 © showdenoticias.com.br